Ah, o amor…

Quando você lê ou assiste uma história linda de amor, qual a primeira coisa que você pensa? Seja sincero! Muitos devem pensar: “isso não existe” ou “amor assim só na TV mesmo”. Quem arriscaria falar: “quero um desses pra mim!”?

Parece bobeira mas é um assunto que vira e mexe entra em discussão. Seja no trabalho ou na mesa do bar com as amigas. Não que eu tenha levantado a temática, mas acho que devido a empatia ou a falta dela nos que me cercam. Também o simples fato de falar de homem, assim como eles, elas também falam muito do sexo oposto.

O fato que gostaria de destacar é que se você tem pensamentos do tipo: “Homem só se importa com aparência e não conteúdo”; “Todos os homens traem”; “Amor é história de conto de fadas”; “Todos homens que prestam são comprometidos” ou “Não existe mais homem neste mundo”. Provavelmente você não acredita mais no amor.

A certeza que tenho é que não tenho problemas em expor o que penso. Por mais injusta que sejam as situações impostas ou as pessoas em que tropeçamos, permaneço com meus princípios e opiniões. Problema delas! Livramento para mim, pois meu Deus é enorme e me livra de todo o mal que chega. Não defendo os homens. É cada história que escuto que olhaaa… realmente desmotiva!

Mas se você acredita que não existe homem bom que queira compromisso, você encontrará apenas homens que só querem se divertir. Você, como a maioria, escutou tanto que “nenhum homem presta” e acabou tomando isso como uma crença. Os resultados? Criticar quando houve o oposto – “ Isso não existe”. Pensamentos positivos sobre o amor e “ homens maravilhosos”  apenas no mundo dos sonhos.

Acredito que ainda há pessoas boas no mundo, tanto homens quanto mulheres, o que para muitos soa como se eu vivesse no “mundinho Disney”. No entanto, quem me conhece sabe que a minha personalidade é forte demais para uma “princesa”. Faz tempo que não me importo com rótulos. Pensem o que quiser. Minha opinião será a mesma.

Você deve saber o que merece, para saber o que buscar. Nada contra sexo casual, mas penso que, até para isso, é necessário impor limites e critérios. Ser seletivo não  é frescura é saber se valorizar! Ame-se primeiro e depois busque um amor recíproco. Não aceite nada menos do que você mereça.

Tudo na vida é questão de foco. Meu foco atual é outro, mas em minhas leituras (de outros assuntos) pude observar que a “lógica” é a mesma. São poucas as pessoas milionárias, assim como são poucas as pessoas que realmente têm um amor grande, verdadeiro, considerável, que faça você pensar: “poxa eles realmente são um casal admirável. De que lado você quer estar? Quantidade versus qualidade. É uma escolha de vida e, justamente por isso, respeite a decisão do próximo. Se você não acredita, não sabe amar ou escolheu viver no outro time, ok. Apenas não seja uma pessoa amarga e pequena a ponto de criar conflitos tentando “provar o contrário”!

Um comentário sobre “Ah, o amor…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s